Vamos falar de propósito?!

 

IMG_5950

Foto: @danicslopes

     Já está cientificamente comprovado que os nossos pensamentos influenciam diretamente as nossas vidas. Por quantas vezes você já se pegou pensando em algo ou alguém e “de repente”, quase que como “magia” esse algo ou alguém se materializou de alguma forma para você? Comigo acontece frequentemente! Nos últimos tempos, tenho pensado muito sobre os propósitos de vida, digo, estou especialmente em busca do meu.

     Todas as crianças (e eu sou fã número 1 das crianças!) nascem sintonizadas ao verdadeiro propósito de suas vidas, entretanto, com o passar dos anos, elas importam as crenças e valores alheios, que comumente as afastam cada vez mais do seu propósito original.

     Crescemos ouvindo que devemos estudar para conseguirmos um excelente trabalho que nos possibilite comprar uma casa boa, um carro bom, roupas boas, viagens caras, etc. e tal, ah, e também crescemos ouvindo que para completarmos a nossa vida “bem-sucedida”, devemos casar e ter filhos. Maravilha! Quero frisar que não sou contra nada disso que acabei de enumerar, inclusive passei muitos anos buscando tudo isso de forma prioritária, entretanto penso que é nesse lindo discurso que nasce uma significativa parte dos nossos problemas e é pensando nesse mesmo discurso, que dia após dia, vamos crescendo e naturalmente nos afastando do nosso original propósito de vida.

     Será que nós chegamos aqui neste mundo com o único propósito de adquirir bens materiais e constituir uma família ou será que nós chegamos até aqui para aprender que somos únicos, e sendo únicos, temos um caminho específico para trilhar? Penso que os valores foram invertidos. Concordo que a educação é o caminho do sucesso e da realização pessoal, mas o que você entende por educação?

    Na minha idealizada grade curricular a educação inicia-se com o olhar, explico: o olhar de compreensão, respeito, amor e carinho conosco, e por reflexo, com o próximo. Não posso acreditar que chegamos até aqui com o único propósito de alcançarmos os degraus de conquista lá em cima descritos. Gosto de pensar neles como um adendo advindo da nossa capacidade de descobrir nosso verdadeiro propósito na vida.

    Estou em processo de encontrar o meu, não sei se estou perto ou longe, mas inverti a inversão de valores e minhas prioridades gradativamente passam a ser outras (não é do dia para noite que vamos mudar o que nos ensinaram a vida inteira). É um processo que requer dedicação e paciência, no qual devemos abandonar nossa natureza imediatista e nos conectar com valores esquecidos.

     Há muitos anos, li uma frase que nunca me saiu da cabeça, era mais ou menos assim: todo homem deve plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. Eu sempre achei essa frase maravilhosa, cita três ações que eu amaria vivenciar e embora eu as ame de todo meu coração, até hoje não realizei nenhuma, mas uma coisa é certa, sei o verdadeiro sentido que cada uma dessas ações sugere. Plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho (assim como inúmeras outras ações ligadas ao seu propósito) trazem em si a ideia de contribuirmos positivamente com um mundo mais digno, para além de nossa existência física.

     Não é simplesmente plantar uma árvore, é deixar seu amor criar raízes e se perpetuar em outras gerações. Não é simplesmente escrever um livro, é deixar por escrito um pouco da sua essência para a posteridade. E por fim, não é simplesmente ter um filho, é ter a dádiva divina de contribuir para que a “sua” criança não se afaste do verdadeiro propósito que a fez chegar aqui.

     Você é capaz de pensar em quantas maravilhas ganharíamos se não tivéssemos nos afastado tanto de nossos propósitos originais? Consegue pensar no quanto teríamos mais adultos equilibrados emocionalmente para enfrentar as adversidades da vida? A propósito, será que existiriam tantas adversidades?

     Voltando aos pensamentos, tenho pensado tanto em propósitos, que logo após o post de abertura do blog tive a certeza de que o próximo post seria sobre propósitos, no dia seguinte “surpreendentemente” fui convidada a ouvir o depoimento de um coach que estava com uma camisa que trazia a seguinte frase: viva “de” propósito.

    Vamos encontrar nosso propósito original de propósito? E tudo mais nos será acrescentado…

Priscila Lima

 

 

16 comentários sobre “Vamos falar de propósito?!

  1. Daniel disse:

    Simplesmente incrível. Escrita perfeita e fluida. Mexe com os sentidos e alma. É como uma revisão da minha história em busca de sentido, em busca e mim, do meu propósito. E como sempre, é de propósito. Amei Pri.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s