O que esperar quando não se está esperando.

IMG-20171001-WA0103.jpg

     Quem nunca espera que a vida siga o script? Quem nunca cria expectativas sobre algo ou alguém? Quem nunca espera que as coisas transcorram tal qual o planejado? Passei a semana inteira pensando e atentando para o que acontece quando simplesmente não estamos esperando. No meu caminho apareceu uma trilha, um encontro especial com a natureza, com pessoas conhecidas e desconhecidas, paisagens deslumbrantes, um rio, pedras…

     Afinal de contas, o que são as pedras no meio do caminho? Acho que quase todo mundo conhece o poema No meio do caminho de Carlos Drummond de Andrade, eu mesma acabei de assistir ao vídeo no YouTube no qual o poema é declamado em doze línguas diferentes (Português, Inglês, Hebraico, Dinamarquês, Francês, Holandês, Italiano, Húngaro, Alemão, Latim, Espanhol e Tupi). Mas o que talvez pouca gente saiba é que Drummond recebeu muitas pedras no caminho em consequência desse exato poema.

     Considerado pobre e repetitivo rendeu numerosas e severas críticas antes de receber exaltados elogios. O poeta nem em seus melhores vislumbres cogitou que esse poema receberia tantas pedras no caminho, incomodado, afirmou que não era um poema digno de tanta atenção. Entretanto, quarenta anos depois da primeira publicação, lançou o livro: Uma Pedra no Meio do Caminho — Biografia de Um Poema. A biografia desse poema é a melhor exemplificação que eu poderia conceder ao título desta semana. Porque coisas magníficas, sobrenaturais e espetaculares acontecem quando aprendemos a esperar sem estar esperando.

     Eu não li (ainda) esse livro, simplesmente porque não sabia da existência dele até começar a escrever o texto desta semana. Entretanto, gosto de imaginar que o poema foi escrito por Drummond no dia em que ele esperava o que não estava esperando, e após a primeira publicação continua a render muitas surpresas ao ganhar, inclusive, uma biografia.

     É por essas e outras, que a partir deste texto começo a entender de um jeito mais profundo o mistério contido nas surpresas da vida. Pode ser uma pedra como a de Drummond, pode ser um muro como o de Profeta Gentileza e Marisa Monte, podem ser as águas como as de Tom Jobim e Elis Regina…pode ser tudo que não se espera e ainda assim ensinar tudo que você precisa.

     Priscila Lima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s